Dormir não é uma perda de tempo

   Porque é que dormir não é uma perda de tempo?

Actualmente, as pessoas estão cada vez mais ocupadas. Depois do trabalho, há que ir buscar as crianças, fazer o jantar, apoiar nos trabalhos da escola, realizar algumas tarefas domésticas, por vezes ainda trabalhar mais um pouco ou finalmente tirar uns minutos para descontrair. Só após tudo isto encontramos tempo para dormir.

O sono parece ficar encolhido na nossa agenda diária, por entre tantos afazeres e solicitações. O cansaço acumula-se mas as obrigações impõem-se. Estar cansado passa a ser o estado comum e a redução de horas de descanso é banalizada. Em alguns contextos, é até elogiada. Olhamos para o acto de dormir como se fosse uma perda de tempo.

Contudo, dormir não é um capricho a que deveremos atender apenas quando nada mais importante existe para ser feito. Dormir é uma actividade crítica para o funcionamento humano. Quando desvalorizamos o sono e desinvestimos na sua quantidade e qualidade óptimas, estamos a fragilizar de forma significativa o nosso sistema imunitário, abrindo assim uma porta a um conjunto de problemáticas físicas e psicológicas bem como a uma maior incidência de acidentes e erros.

Então o que caracteriza um sono de qualidade?

A maioria de nós necessita dormir entre 7 a 8 horas diariamente, de forma profunda e sem interrupções, para alcançarmos o nosso bem-estar e funcionamento óptimos.

Todavia, se perguntar a si mesmo quantas horas dormiu na última semana talvez se confronte com um número insuficiente, fruto de dias muito ocupados e da falta de priorização de um descanso efectivo.

Muitas vezes não se olha para o défice de sono de um modo preocupado como deveríamos, considerando os múltiplos riscos associados. As olheiras, os olhos vermelhos e os constantes bocejos ao longo do dia são as consequências mais visíveis e verdadeiramente as menos impactantes. No entanto muitas outras surgem, de uma forma mais disfarçada mas gravosa. Estas podem variar desde irritabilidade, falta de concentração e memória, diminuição de produtividade, fadiga muscular acrescida, alteração de humor, ansiedade, instabilidade emocional, dificuldade em tomar decisões, vontade de comer mais voraz e maior risco de obesidade até diabetes, doenças cardíacas e outros problemas de saúde.

Dormir é mesmo importante?

Em média, cada um de nós despende um terço das suas vidas a dormir. Será então que este terço da nossa vida é desperdiçado? A resposta é clara e inequívoca: Não. Para vivermos bem, necessitamos dormir bem.

A forma como cuidamos do nosso sono espelha a forma como cuidamos do nosso bem-estar global. E antes de sermos pais ou mães, colaboradores ou chefes, somos seres humanos, pelo que tudo fica em suspenso sem saúde.

O sono é uma necessidade humana básica essencial à reparação e manutenção do equilíbrio biopsicossocial do ser humano, durante o qual ocorrem alterações dos processos fisiológicos e comportamentais. Dormir não é só importante como também necessário para as seguintes tarefas:

  • Manutenção da vigília;
  • Conservação de energia e promoção de processos anabólicos;
  • Mecanismos de termorregulação;
  • “Desintoxicação” do cérebro;
  • Manutenção do sistema imunológico;
  • Desenvolvimento e maturação do cérebro;
  • Plasticidade do cérebro;
  • Formação e consolidação de memórias;
  • Regulação de diversos processos metabólicos;
  • Substrato dos sonhos. 

O que podemos fazer para ter uma boa noite de sono?

Dormir não é uma perda de tempo

  • Priorizar o seu descanso é a base para garantir uma boa noite de sono. Quando assume que dormir é um tempo fundamental para a sua qualidade de vida, consegue mobilizar-se para reorganizar a sua agenda e investir em boas práticas.
  • Investir numa boa higiene do sono. Quando assegura um conjunto de actividades preparatórias antes de se deitar, criando uma zona de desaceleração, tende a ajudar o seu cérebro a descansar de forma mais efectiva e a tornar o sono um momento de prazer.
  • Desligar equipamentos electrónicos. Quando reduz a luz dos ambientes da casa e se afasta de ecrãs 30 minutos antes de se deitar, apoia na produção natural de melatonina, a hormona do sono, tão importante para ajudar o seu corpo a sintonizar-se com os ciclos de sono-vigília e assim permitir um descanso mais efectivo.
  • Cuidar do seu ambiente envolvente. Quando mantém o seu quarto de dormir um espaço agradável, arejado e confortável potencia associá-lo a um espaço de bem-estar, para onde vai com satisfação ao final do dia.

Neste momento ainda considera que dormir é uma perda de tempo? O que vai fazer para priorizar o seu sono e assim investir na sua saúde? Lembre-se: dormir é dos períodos mais importantes do seu dia-a-dia. Valorize-o para cuidar de si.

 

  Publicado por Filipa Jardim da Silva