mulher a sofrer com sintomas de saúde digestiva desregulada

Questionam-me com alguma frequência sobre quais os sintomas que evidenciam uma saúde digestiva desregulada e quais a ter em atenção.

 

Para responder a essa questão, importa perceber como se compõe e comporta o aparelho digestivo: a parte “alta” (proximal) do tubo digestivo inclui o esófago e o estômago e a parte “baixa” (distal) é composta sobretudo pelo intestino, com cerca de 5 metros de comprimento. O ideal é promover o funcionamento harmonioso de ambas as partes.

 

Relativamente à parte alta do aparelho digestivo, certos sintomas são causados por comportamentos alimentares desadequados (excesso de fritos, doces, condimentos, café, álcool, posição sentada ou deitada logo após a refeição, por exemplo) e excesso de peso, pelo que é importante contornar estas possíveis causas, com vista a promover o bem-estar digestivo.

 

No caso do mau funcionamento intestinal, este afecta mais frequentemente o sexo feminino e pode manifestar-se através de obstipação (prisão de ventre), distensão abdominal (“barriga inchada”) e dor ou cólica abdominal (estes podem ser causados por erros alimentares, como o excesso de gorduras e o défice de fibra e água, sedentarismo e factores emocionais…)

 

Hoje sabe-se, de facto, que os sintomas intestinais se associam fortemente a factores emocionais (stress), podendo por isso intensificar-se durante o dia, em particular após as refeições, e a melhorar no período noturno (sono), fins de semana e férias. Se se revê nesta situação, não deverá alarmar-se, já que estes sintomas não são indício de uma doença grave; pelo contrário, a falta de apetite, emagrecimento ou alteração dos exames complementares de diagnóstico (análises, exames endoscópicos ou de imagem…) devem ser investigados de forma célere.

 

 Publicado por Rui Pinto