boa saúde digestiva

Sabemos hoje que a Saúde Digestiva depende tanto do comportamento alimentar e de outros hábitos, como do estado emocional. Os resultados do Estudo sobre a Saúde Digestiva dos portugueses (ver aqui) realizado confirmam a influência dos nossos diversos comportamentos na saúde digestiva.

  O comportamento alimentar é importante pelo menos desde que nascemos; até a maneira como a nossa mãe se comportou durante a gravidez tem influência na nossa saúde futura. O aleitamento materno é essencial para conferir ao bebé as competências imunitárias adequadas para uma vida saudável. Na infância, a diversificação alimentar deve ser progressiva e adequada ao estado de desenvolvimento do aparelho digestivo. Já na idade adulta, a composição alimentar (dieta) deve ser variada e equilibrada, relativamente às várias classes de alimentos. Devemos contrariar alguns erros alimentares comuns tais como: a ingestão insuficiente de fibra e líquidos, e excessiva de calorias, condimentos e álcool. Por outro lado, devemos cuidar da nossa microbiota, isto é, dos triliões de micróbios que habitam o nosso intestino e nos devem proteger, promovendo uma adequada colonização do trato gastrointestinal.

A saúde digestiva também depende direta e indiretamente da atividade física regular e de um sono reparador.

Estes aspetos são benéficos só por si e também por contribuírem para o bem-estar emocional da pessoa. O nosso estado emocional depende do enquadramento afetivo-familiar e socio-profissional e influencia o funcionamento do aparelho digestivo. De facto, como vimos num artigo anterior, o stress interage com a função digestiva e, por isso, o seu controle é fundamental.

Em suma, todos estes fatores que de nós dependem devem ser considerados para a promoção de uma boa saúde digestiva:

  • Bons hábitos alimentares: alimentação diversificada, com todos os macronutrientes, moderação de ingestão de sal, açúcar e gorduras, ingestão de água (aproximadamente 1.5L)
  • Peso adequado (IMC 25)
  • Prática regular de exercício físico
  • Sono reparador
  • Controle do estado emocional

E como é de pequenino que se aprende, seja um exemplo lá em casa e não deixe de incentivar os seus filhos a adoptar estes bons hábitos!

Caso necessite de aconselhamento não hesite em procurar um profissional de saúde.

 

 Publicado por Rui Pinto